11 de jul de 2009

Sei lá..

Há horas, dias, semanas, meses, anos, em que devíamos cair em um sono profundo para não ter que assistir ao pesadelo em que nossa vida pode se transformar.
Mas, como a única coisa que se pode fazer é viver esse pesadelo, temos de aguentar.
Podemos achar que não vamos aguentar, ter a certeza disso, mas o que é certo é que lá vamos vivendo o dia a dia e até acabarmos por achar a piada à sucessão da má sorte que temos.
Torna-se divertido ver o que nos espera, e ver que a cada passo o tombo é maior.
E quando digo que se torna divertido, é para apenas não tornar tudo ainda mais dramático do que na realidade já é.
Mas, como estava a dizer, o tombo é maior e fica-se à espera que venha a derradeira hora em que cairemos no precipício.
Há quem diga, e muito bem, que problema atrai problema.
Começa por ser uma coisa sem importância, à qual nem damos o devido valor, porque nos achamos capazes de resolver, e quando vemos que não é bem assim que e abrimos os olhos para a realidade, acordamos no nosso pesadelo e as coisas começam a complicar-se...
Perde-se a vontade de viver e ganha-se um oceano de presente para chorarmos e não nos resta mais nada a não ser gastar cada gota, sem medo de economizar, sem se preocupar com a conta de água. Se bem que eu gostaria de saber o quento eu gasto em lágrimas, principalmente nesses últimos tempos...
Com os problemas a aparecerem como melgas, só nos apetece ser, por exemplo, a vizinha do lado, que até tem um bom carro e anda sempre bem disposta.
O sentimento de solidão e abandono cresce a cada problema.
Tanta gente que nos rodeia ninguém tem a salvação para nosso caso.
Só resta esperar... Viver uma espera mesmo longa e dura, sem saber quando virá o arco-íris, para pôr fim à nossa tempestade interior.
Há quem reze e há quem já não acredite em poderes divinos e se sinta abandonado.
A sensação, às vezes, é que todos os santinhos resolveram tirar férias na mesma altura...
Ou pensamos então que já fizemos tantas asneiras que não merecemos se quer atenção e perdão lá do PATRÃO.
Chegamos então na altura na qual me encontro...
Sem achar nada, sem achar a mim.




5 comentários:

Andrew Augusto disse...

Oi Rachel,não sei o motivo do post,mas seja lá qual for,força e luz!
Quando o sol bater na janela do seu quarto lembra e ve que o caminho é um só.

http://miojogenerico.blogspot.com

mediskina disse...

A vida sempre nos proporciona a chance de dar a volta por cima!



http://mediskina.blogspot.com

BRUNO disse...

Não só aguentar esses momentos didíceis, mas também aprender com eles, e tantar melhorar tudo.

Força Menina!

Abraços!

Jean B. disse...

Não consigo imaginar a vida sem as provações do nosso dia-a-dia, infelizmente é assim, mas esses dias de vez em quando são manchados pela felicidade incontestável e tardia que por vezes se torna permanente.

Ps: muito obg pela visita e pelo elogio.

BRUNO disse...

Olá Rachel, perdoe-me por não comentar a respeito do post, mas é que achei seu blog muito bom e de qualidade, e gostaria de fazer parceria em link. Entre em contato comigo através do blog msm ou e-mail, ok?

Abração!