22 de jul de 2012

Idiotice é vital para felicidade

Gente chata essa que quer ser séria, profunda e visceral sempre. Putz! A vida já é um caos, por que fazermos dela, ainda por cima, um tratado? Deixe a seriedade para as horas em que ela é inevitável: mortes, separações, dores e afins. No dia-a-dia, pelo amor de Deus, seja idiota! Ria dos próprios defeitos. E de quem acha defeitos em você. Ignore o que o boçal do seu chefe disse. Pense assim: quem tem que carregar aquela cara feia, todos os dias, inseparavelmente, é ele. Pobre dele. Milhares de casamentos acabaram-se não pela falta de amor, dinheiro, sexo, sincronia, mas pela ausência de idiotice. Trate seu amor como seu melhor amigo, e pronto. Quem disse que é bom dividirmos a vida com alguém que tem conselho pra tudo, soluções sensatas, mas não consegue rir quando tropeça? hahahahahahahahaha!... Alguém que sabe resolver uma crise familiar, mas não tem a menor idéia de como preencher as horas livres de um fim de semana? Quanto tempo faz que você não vai ao cinema? É bem comum gente que fica perdida quando se acabam os problemas. E daí, o que elas farão se já não têm por que se desesperar? Desaprenderam a brincar. Eu não quero alguém assim comigo. Você quer? Espero que não. Tudo que é mais difícil é mais gostoso, mas... a realidade já é dura; piora se for densa. Dura, densa, e bem ruim. Brincar é legal. Entendeu? Esqueça o que te falaram sobre ser adulto, tudo aquilo de não brincar com comida, não falar besteira, não ser imaturo, não chorar, não andar descalço, não tomar chuva. Pule corda! Adultos podem (e devem) contar piadas, passear no parque, rir alto e lamber a tampa do iogurte. Ser adulto não é perder os prazeres da vida - e esse é o único "não" realmente aceitável. Teste a teoria. Uma semaninha, para começar. Veja e sinta as coisas como se elas fossem o que realmente são: passageiras. Acorde de manhã e decida entre duas coisas: ficar de mau humor e transmitir isso adiante ou sorrir... Bom mesmo é ter problema na cabeça, sorriso na boca e paz no coração! Aliás, entregue os problemas nas mãos de Deus e que tal um cafezinho gostoso agora?

12 de jul de 2012


Estou mais uma vez aqui no meu cantinho.
Queria estar feliz.

Eu acho que vou enlouquecer. É sério. Sabe quando tudo resolve desabar na sua cabeça? Pois é.
Tudo resolveu desabar, de uma vez.
Tem coisas que eu consigo esconder, outras não. Finjo estar feliz a toda hora, a toda instante e na verdade é tudo casca, tudo disfarce. Mas até quando eu vou suportar tudo isso? Não sei.
Já passei por tantas né, que essa seria só mais uma. Mas não é. Cada uma que passei foi diferente da outra. Uma mais forte do que a outra, mais intensa, e por consequência, mas fácil do que a outra. Tá, mas tudo o que passou entre uma "porrada" e outra houve um tempo,um espaço. Desta vez foi diferente, uma "porrada" atrás da outra assim, em sequência. E daí vem a pergunta: "como eu ainda estou de pé?"
Que "força" é essa que me faz levantar todos os dias as 04h50 e ir trabalhar?
É deve ser as 08, 09, 10 até 12 horas que me faz ter força pra continuar. Ou será que estas horas são apenas enganações? Meu final de semana será bem agitado. Sei que vou rir muito, vou estar com pessoas que gosto muito, porém sentirei a falta de alguém. Alguém que me faz rir, que gosto da companhia.
Alguém que eu olho e vejo nele muito mais do que uma simples companhia agradável, mas alguém que me faz bem.
Só que este fazer bem, ao mesmo tempo me tortura. Por que é impossível tê-lo pra mim. Aliás pra mim não, comigo. Eu não mereço ter alguém bom, amigo, companheiro, que faça palhaçada para eu rir, que me entenda, que aponte meus erros com carinho, que me aconselhe sem dar sermão e que me dê sermão sem me julgar.
Não eu não mereço isso. O que eu mereço?
Nada. Apenas isso o que passo dia a dia.
Até quando? Porquê?

3 de jul de 2012