1 de mai de 2010

Já faz um tempinho que postei umas coisas meio estranhas aqui no blog, mas não lembro o início.

Jamais imaginei que dias, meses até anos eu estaria aqui voltando este assunto, adolescente com 29 anos. MERDA!

Não tenho companhia para sair hoje a noite, não posso confiar em ninguém, tenho medo de sair andando sozinha, e o que é pior, to sem um puto. Merda!

A semana foi arrasadora. Acabou em plena Terça Feira 10 da manhã. Eu estava quieta no meu canto, trabalhando “sossegada”, ai explode a bomba. Voltei a ter 16,17,18, sei lá quantos anos, mas voltei a certa idade só que mais madura. Mas infelizmente o coração não está em sintonia com o cérebro, ou ao contrário, nem sei o que eu estou dizendo, pensando, falando, digitando... QUE MERDA!

No MSN as letras saem misturadas, as palavras estão confusas, está tudo sem sentido, e mais sem sentido ainda estou eu. I need help!

Juro MEU DEUS que não queria sentir o que estou sentindo. Está difícil controlar, e olha que quando o assunto é amor, sou fria pra caramba, mas desta vez, FODEU com a minha vida. Poxa, tinha que ser justo agora? Bem que dizem, quando tem que ser, vai ser. E foi.

O choro foi inevitável. O deja-vu também. Em menos de 30 segundos, minha adolescência passou como um filme na minha cabeça. A imagem de alguém em pé no portão, ora feliz, ora triste, e eu ali sempre disposta a escutar, mesmo que por dentro estivesse em caquinhos. E a frase se repete: “ Eu gosto muito de você, e não é muito, e muuuuiiitoooo mesmo, eu confio em você, e você ainda é a minha melhor amiga.”

Olho meu reflexo no espelho e digo: “ Não será igual antes, hoje está tudo diferente, não existe um pingo de sentimento aí dentro.” Quem disse que não?

Meu chão desapareceu na Terça a partir do momento “ Quando você pode ir me ver?”

QUE MEEEEEERRRRDAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Já me peguei imaginando coisas, tudo o que eu tenho certeza não vai acontecer.

“Porra Rachel, não pensa assim” diz uma voz do além. Sim, eu estou louca.

Mas eu tenho que pensar assim, não vai acontecer nada, porque a situação, embora muito parecida com a de anos atrás, é diferente. Tudo está muito recente, e na verdade eu nem sei o que vou ouvir. Mas tal situação me deixa DESESPERADA.

Eu estou perdida, estou sem direção, completamente fora do ar.

Já descontei em quem não tem nada a ver com o assunto, refletiu no meu trabalho, está refletindo em muitas das minhas atitudes.

Neste instante eu queria um quarto escuro, com uma música baixinha ( talvez no ultimo volume) , eu e meus pensamentos. Queria que estes não me torturassem tanto, porque é isso que está acontecendo, estou sendo torturada por meus próprios pensamentos.

QUE MERDA! Tanta coisa que estou sentindo e não consigo passar para o “computadô”

Agora vem a atualidade. Tenho que admitir. ESTOU AFIM DE ALGUÉM. QUE MERDA!

Aos olhos alheios, ele também está, e por incrível que pareça, tem torcida a favor.

Temos os mesmos gostos, é quase que sagrado todos os dias nos encontrarmos. Sinto falta quando não falo no MSN, quando não vejo em tal lugar.

Gosto da conversa, de como nos tratamos, chega a ser carinhoso. Está sendo muito legal passar por isso. Talvez uma atitude de uma das partes faria “ a coisa andar.” Mas tenho medo. Não sei explicar, talvez por ter sofrido tanto tempo, sinto medo de, de repente, gostar pra valer,e não ser nada daquilo que estão vendo, ou de não ser nada que eu esteja esperando. Não quero chegar ao ponto de dizer o que estou sentindo, e ouvir: “ Não, me leve a mal, mas não quero nada com você.” Sim, porque ele é assim, sabe falar, jamais falaria de uma forma grosseira, a ponto de me machucar. Só que a frustração iria ACABAR comigo. Porque nunca vivi isso. Já a frustração, é praticamente uma rotina na minha vida, por isso, sou assim, bem fria quando o assunto é amor.

QUE MERDAAAAAA, já são 22:31, e amanhã é o dia. O que eu vou falar? Como será que vou reagir a tudo? Esta merda de sofrimento precipitado que me mata. E justamente hoje “calhou” de eu só ouvir músicas que ouvíamos juntos, e não foi por vontade não, foi no rádio mesmo, “calhou” de só tocar músicas das que me fazem lembrar tais situações, momentos. Dormir hoje será uma missão impossível. Eu queria ter o poder de apagar tudo do passado, e reviver tudo de novo, de uma forma limpa, sem mentiras, sem arrependimentos, sem frustrações e principalmente, sem sofrimento.

Meu Deus, eu estava tão bem, estava quieta, equilibrada. Porque foi acontecer isso?

E justo da mesma forma que foi lá atrás, no passado. Porque isso tinha que voltar tão intenso? Porque eu não consigo sincronizar a razão e a emoção?

EU PRECISO DE UMA DIREÇÃO!

Será que terei uma segunda, terceira ou quarta chance de ser feliz outra vez?