25 de jul de 2009

Olhando hoje os momentos a qual a vida já me proporcionou vejo que tudo valeu a pena, são tantas e tantas lembranças que tentar escreve-las seria uma hipocrisia, pois momentos vividos são únicos e eternos, eu os tive e os tenho a cada amanhecer de um novo dia, vejo que cada momento é precioso para novas lembranças, pois a vida é feita para ser vivida com toda a sua plenitude e eu as vivo, mesmo que às vezes fechado no meu próprio silencio eu a sinto, pois sei que até mesmo os meus dias a qual quero esta só comigo mesmo e perdido nas minhas lembranças um dia se tornará também uma lembrança, tento nos caminhos a qual ando encontrar a cada dia uma nova forma de viver, pois às vezes achamos que somos o dono do mundo e no fundo não somos nada, queremos apenas um pouco de colo, carinho, amor, sim amor, pois esse é um dos motivos ao qual a vida me proporciona momentos únicos, sabemos que nada nesta vida é eterno, mas que seja enquanto dure, pois no futuro será mais uma lembrança de dias que o vento levou, dias que mesmo tentando viver em outros braços jamais será o mesmo, por isso vivo o hoje na certeza que a vida ainda me proporciona momentos lindos e recheados de novas lembranças.

Um dia quando minhas pernas já não mais poder caminhar e meus olhos já não mais poder ver, posso pelo menos olhar as cenas de uma historia que o destino reservou para mim cheio de sonhos e planos.

Hoje sou um ser, mas amanhã posso ser apenas uma lembrança e que esta lembrança seja eterna até mesmo para todos que aqui passou mesmo que por acaso. Eu não sou nada, mas sou tudo, não tenho nada mas tenho o mundo a minha espera para que um novo dia um novo sol uma nova manhã chegue recheadas de novidades e de momentos únicos e eterno.

11 de jul de 2009

Sei lá..

Há horas, dias, semanas, meses, anos, em que devíamos cair em um sono profundo para não ter que assistir ao pesadelo em que nossa vida pode se transformar.
Mas, como a única coisa que se pode fazer é viver esse pesadelo, temos de aguentar.
Podemos achar que não vamos aguentar, ter a certeza disso, mas o que é certo é que lá vamos vivendo o dia a dia e até acabarmos por achar a piada à sucessão da má sorte que temos.
Torna-se divertido ver o que nos espera, e ver que a cada passo o tombo é maior.
E quando digo que se torna divertido, é para apenas não tornar tudo ainda mais dramático do que na realidade já é.
Mas, como estava a dizer, o tombo é maior e fica-se à espera que venha a derradeira hora em que cairemos no precipício.
Há quem diga, e muito bem, que problema atrai problema.
Começa por ser uma coisa sem importância, à qual nem damos o devido valor, porque nos achamos capazes de resolver, e quando vemos que não é bem assim que e abrimos os olhos para a realidade, acordamos no nosso pesadelo e as coisas começam a complicar-se...
Perde-se a vontade de viver e ganha-se um oceano de presente para chorarmos e não nos resta mais nada a não ser gastar cada gota, sem medo de economizar, sem se preocupar com a conta de água. Se bem que eu gostaria de saber o quento eu gasto em lágrimas, principalmente nesses últimos tempos...
Com os problemas a aparecerem como melgas, só nos apetece ser, por exemplo, a vizinha do lado, que até tem um bom carro e anda sempre bem disposta.
O sentimento de solidão e abandono cresce a cada problema.
Tanta gente que nos rodeia ninguém tem a salvação para nosso caso.
Só resta esperar... Viver uma espera mesmo longa e dura, sem saber quando virá o arco-íris, para pôr fim à nossa tempestade interior.
Há quem reze e há quem já não acredite em poderes divinos e se sinta abandonado.
A sensação, às vezes, é que todos os santinhos resolveram tirar férias na mesma altura...
Ou pensamos então que já fizemos tantas asneiras que não merecemos se quer atenção e perdão lá do PATRÃO.
Chegamos então na altura na qual me encontro...
Sem achar nada, sem achar a mim.